terça-feira, 9 de agosto de 2022

Bom Dia Marcílio Dias!

             Lembrando um dia chuvoso de 2015. Estação de Marcílio Dias.




                Um dia de chuva em 2022. estação restaurada.



Terça-feira, 9 de agosto de 2022.

Bazar Solidário

     É neste sábado o Bazar Solidário em prol dos animais. 



quarta-feira, 3 de agosto de 2022

Subsídios para a história de Marcílio Dias

    “Os irmãos de Adolfo, Amandus e Bernardo Olsen, filhos do imigrante norueguês Gjert Olsen em Joinville, tiveram um papel de relevância no desenvolvimento de São Bento do Sul e Rio Negrinho. Enquanto Adolfo e Amandus se estabeleceram em Rio Negrinho, Bernardo se estabeleceu em São Bento do Sul e mais tarde em Canoinhas. (Texto de autoria de Osmair Bail). Com a inauguração da ferrovia em 1913, muitos empresários resolveram investir ao redor das estações em busca de lucros com a venda de lotes coloniais, erva-mate e madeira. Bernard, nacionalizado para Bernardo Olsen, já realizava negócios com a erva-mate em Canoinhas desde 1909. Ele conhecia bem o potencial econômico da região. Após o término da Guerra do Contestado (Acordo de limites em 20 de outubro de 1916), adquiriu ao redor da Estação Canoinhas da Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande, uma área de 790 alqueires e iniciou a Colônia São Bernardo. Mais tarde ampliou seu patrimônio adquirindo grandes áreas de terra em Taunay e Major Vieira. Filho de Gjert Olsen, um dos primeiros noruegueses que chegou a Joinville em 1851, e casou-se com a imigrante suíça Anna Fischer. Bernardo Nasceu em Joinville em 18 de fevereiro de 1862. Desde muito cedo iniciou com a atividade comercial negociando cavalos e gado (Joinville, os Pioneiros, p 51). Casou-se com Maria Ritzmann, descendente de suíços no ano de 1890."

 Extraído do Blog de Osmair Bail – Rio Negrinho no passado. Infelizmente, Osmair foi uma vitima da Covid. Poucos meses antes, esteve em minha casa onde cedi para ele vários Xerox da Historia de Rio Negrinho. 
 Texto enviado pelo Professor Antonio Dias Mafra
Wiegando Olsen.


92 anos da inauguração da estação de Canoinhas

       Há 92 anos, em 3 de agosto de 1930, a estação ferroviária de Canoinhas, na época denominada Ouro Verde, era inaugurada. O ramal ferroviário ligava nosso distrito de Marcílio Dias até a cidade, num trajeto de cerca de 4 quilômetros, com a maria-fumaça transportando cargas e passageiros.

Na estação de Canoinhas: Pedro Gallotti, Orlando Gallotti, Onagibio,
 Leodoro, Osni Franco, Osni Wilson e Otacílio.
Acervo de Orlando Gallotti.

Ferroviários na estação de Canoinhas. Foto Uhlig

Sobre a inauguração o historiador Fernando Tokarski escreveu:

domingo, 31 de julho de 2022

Pra celebrar o último domingo do mês

         Mais imagens da nossa vila de Marcílio Dias pra deixar o domingo mais animado ainda! 


Fátima Santos, estagiária Cássia Maria Hansch, Carolina Carvalho 
e Carla Sussenbach da Fundação Cultural.

Em frente ao restaurante da estação.

Em frente a estação. Parabéns a Empresa Souza&Souza por realizar
a limpeza da área em frente a empresa e próxima da estação.


Bom Domingo!

     Pra comemorar o último domingo do mês de julho, selecionei estas imagens da nossa amada vila de Marcílio Dias.

Igreja São Bernardo com flores de manacá plantadas
pela administradora desse blog Fátima Santos.

Escola Manoel com flores da árvore cerejeira-do-japão.

Propriedade de Edeltraut Hauffe Jarschel.

Escola Manoel com flores.

Clube Atlético Marcílio Dias.

Escola Manoel.

Igreja São Bernardo.

Folhagens de Eva Ranthum.

Flores de pessegueiro na rua João Lader.

Propriedade de Edeltraud Hauffe Jarschel.

Restaurante da Estação.

Clube Atlético Marcílio Dias.

Em frente ao CEI Mário Edson de Aguiar.




Clube Atlético Marcílio Dias.